Como evitar as bactérias no tatame?
Frequentadores de academias de ginástica e atletas em geral têm um inimigo oculto, minúsculo, imperceptível aos olhos, mas capaz de comprometer a saúde e o desempenho nos treinos e competições. Conhecidas como, as bactérias no tatame, elas multiplicam-se em toda parte e em grande volume nos locais onde a atividade física é constante.

Aparelhos de exercícios, tatames, quimonos, ataduras e protetores tem que estar sempre limpos para evitar este tipo de problema.

Uma raspagem, um ferimento leve, pode infeccionar por causa de bactérias. Elas entram na corrente sanguínea por qualquer lesão, por mais leve que seja e complicam a infecção. Este inimigo oculto desencadeou uma campanha de assepsia nas academias de ginástica e locais de treinos de artes marciais.

Lutadores sofrem com as bactérias

Nos últimos tempos, muitos lutadores de MMA vêm sofrendo com as infecções por estafilococos. Mas o que exatamente é a staph infection?

O caso que tornou a bactéria famosa no mundo das lutas foi o de Rodrigo Minotauro, que sofreu o primeiro nocaute de sua carreira contra Frank Mir, em 2008, antes de revelar, ainda dentro do octagon, que passou uma semana internado para tratamento da infecção, que havia se instalado em seu joelho.

Desde então, o assunto costuma entrar em pauta, e a bola da vez foi Mark Hunt, que, gravou um vídeo em que mostra um buraco em sua própria perna esquerda, devido à infecção.

Queda de rendimento

A bióloga Delcinea Bastos explica como a bactéria influencia na performance dos lutadores. Ela afirma que a imunidade dos atletas é afetada pela lesão.

“O seu desempenho pode ser prejudicado por causa da baixa imunidade. O corpo está ‘preocupado’ com o processo infeccioso em andamento. O atleta gasta a energia que deveria estar voltada ao combate do processo infeccioso. O processo inflamatório é muito doloroso, pois há formação de material purulento (pus), que muitas vezes retarda o processo de cicatrização”.

Cuidados

Banho tomado, unhas curtas e quimono limpo é o mínimo que se espera de quem mantém contato físico no esporte. Ter mais de um uniforme para os treinos é uma boa dica. Veja aqui algumas dica como cuidar bem do seu kimono.

Antigamente no Jiu jitsu havia uma tradição, de treinar com quimono sujo para mostrar que o atleta era “casca grossa”, mas hoje sabemos que isso é uma falta de higiene que pode provocar problemas sérios. Uma infecção mal tratada pode levar a amputação de um membro ou até a morte.

Como evitar bactérias no tatame?

Sabemos que as dicas abaixo as vezes são difíceis de serem cumpridas, mas sempre que possível procure seguir estar recomendações.

  • Limpar os Tatames todos os dias não deixar o suor e saliva de um dia para outro;
  • Possuir no mínimo 02 (dois) Kimonos;
  • Os Kimonos devem estar sempre limpos, seco e sem odores;
  • Unhas das mãos e dos pés cortadas e limpas;
  • Banhos antes do Treino;
  • Lavar os Kimonos toda Semana;
  • Andar acompanhado de Álcool Gel;

Importante

Não existe antibiótico específico para tratamento da infecção por estafilococos, explica Delcinea Bastos, ea auto-medicação pode fortalecer a bactéria.

O correto é que para cada caso de infecção bacteriana tem que ser utilizado o antibiótico específico. Como o estafilococo é uma bactéria muito conhecida, normalmente utilizamos antibióticos que compramos livremente em farmácias. Utilizado indevidamente, acarretará diminuição do efeito e retardo no tratamento.

Fonte: http://www.aprendajiujitsu.com.br/bacterias-no-tatame/

Como limpar o tatame?

Tanto tatames em E.V.A. quanto lona são simples de serem limpos, no caso da lona, use DesinFect Diluir 1 ml do produto em 750 ml de água. Passar com pano umido ou borrifar solução do produto durante o tempo máximo de 15 a 20 minutos.

O E.V.A é um tipo de material de fácil limpeza, pode ser limpo apenas com pano limpo, que não solte fiapos, umedecido com DesinFect. Antes de limpar tatames de E.V.A,  podemos remover o pó e as sujidades menos impregnadas com a ajuda de uma vassoura com cerdas macias.

Para fazer a limpeza o produto não deve ser utilizado com nenhum outro agente de limpeza, pois esta associação pode afetar sua ação desinfetante.; Depois de lavar, deixe secar em temperatura ambiente. Em caso de placas mais sujas a mesma pode ser removida e lavada separadamente para uma melhor higienização.



Deixe um Comentário

Todos os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios